terça-feira, 23 de setembro de 2008


Do silêncio sai um grito aterrador,
Um furacão de teorias,
Capaz de detonar a estabilidade,
Ir além do chão que me contorna,
Como um linha que desvenda,
O que o horizonte oculta,
A mente propaga a sua natureza besta,
E arremessa os sentidos,
No infindável tormento de desejo afável,
Que nos faz crepitar o equilibrio deturpado,
Elevando a recaída do ser,
E o completar da pureza que havia sido intocável...

Sinto-me assim cá dentro...
Explosão de sentimentos,
Que estrangulam a respiração!

Today my soul seen his limits...

6 comentários:

Mel disse...

todo este remoinho de emoções acaba por nos sufocar. felizmente vai cessando para se poder respirar.

beijo*

gotinha de água disse...

Este rodopio de sentimentos baralha-nos a alma. Faz-nos sentir os seres mais confusos à face da Terra.

Mas tudo acaba por passar...

beijo**

Annie disse...

Se soubesses o quanto percebo.. *

Sofia disse...

Enquanto há vida há esperança. Não percas a tua ainda que este carrossel de sentimentos acabará por parar ;)

Gostei do teu cantinho*

Bárbara disse...

sem duvida esmeu irmao d'alma, pois sinto-me tao entranhada neste remoinho diario de sentimentos contraditorios e
" estou cansada do mundo
e do que ele contém,
múltiplas formas distintas
de cópias identicamente estúpidas
de tédio rastejante de tédio repugnante
cansada..."

beijo

Lena disse...

Podemos gritar juntos??:(